Manifesto dos funcionários da CDHU

Os trabalhadores da CDHU - Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano do Estado de São Paulo - vem a público manifestar-se contra a extinção desta empresa, conforme proposto no PL 529/2020 enviado à Assembleia Legislativa em 12/08/2020 pelo Governador João Doria Jr.

Com mais de 50 anos de existência, a CDHU é uma das maiores companhias de habitação de interesse social do mundo, a maior da América Latina.  A CDHU está presente em 639 dos 645 municípios do estado, tendo comercializado mais de meio milhão de moradias, das quais 90% financiadas e subsidiadas a famílias com rendimentos de até 3 salários mínimos. A população que mora nos conjuntos da CDHU é inferior somente à população da Capital do estado. A CDHU entregou “moradia digna” para uma faixa da população que não tem acesso ao financiamento do mercado imobiliário formal.

O Governo Dória quer a extinção da CDHU alegando que devido à pandemia deverá reduzir despesas em 2021. Mas a CDHU é financeiramente sustentável, tendo hoje 313 mil contratos ativos, com arrecadação de R$ 798.053,902,37 em 2019, sendo uma empresa superavitária. Seus recursos próprios representam 67% do orçamento realizado no ano de 2019 e garantem o seu funcionamento e reinvestimentos.

A extinção da Companhia também significa, de imediato, a demissão de 546 funcionários, afetando seus familiares, que em plena época de pandemia ficarão sem convênio médico, e atingirá também os trabalhadores terceirizados e as empresas vinculadas, o que agrava ainda mais o desemprego aprofundado pela crise sanitária.

O fechamento da CDHU comprometeria a esperança de muitas famílias de baixa renda, que compõem o alto déficit habitacional paulista. Deixaria desamparada as Prefeituras que necessitam da assistência técnica e social dos técnicos da CDHU.

O governo Dória decide pela extinção de políticas públicas de notória qualidade técnica e relevância social, como são os projetos criados e implementados pela CDHU, causando um grande prejuízo, também pelos investimentos públicos já realizados.

Entendendo que a produção de habitação e urbanidade está intimamente ligada à proteção sanitária, é espantoso que quando a população paulista mais precisa, o governo Dória decida pela extinção da CDHU, demitindo funcionários, e banalizando a importância e o papel desta Companhia para o enfrentamento do déficit habitacional no Estado, e iludindo a população sobre a capacidade da Secretaria da Habitação de absorver os empregados da CDHU e executar os seus programas.  

Não podemos permitir este desmanche de serviços públicos essenciais!

Não ao fechamento da CDHU

#NãoaoPL529

#FicaCDHU